Mário J. Alves

By março 16, 2021 Biografias

Engenheiro Civil pelo Instituto Superior Técnico, especialista em transportes e mobilidade com o grau de mestre pelo Imperial College London. Trabalhou no Centro de Sistemas Urbanos e Regionais da Universidade Técnica de Lisboa e no Centre for Transport Studies of the University of London como Investigador Associado. Os seus temas de investigação versaram a Modelação e Análise de Cadeias de Actividades, experiências em  Preferência Declarada e métodos de inquérito para diários de viagem. Como consultor de transportes foi Coordenador Operacional do Plano de Mobilidade de Almada e vários projectos de mobilidade: foi coordenador do Plano de Mobilidade para o centro de Alcochete e Programa de Mobilidade e Transportes dos concelhos de Abrantes e Loulé. Foi consultor de projetos de ciclovias, espaço público e mobilidade ativa. Trabalha regularmente com projectos de acalmia de tráfego e segurança rodoviária assim como políticas e estratégias nacionais e regionais de promoção da mobilidade ativa. Trabalhou em vários projectos europeus, nomeadamente LifeCycle (“Promotion of healthy mobility behaviour throughout the entire life time using a lifelong approach on cycling”) e Active Access (“Promoting walking and cycling”) e foi membro do painel de especialistas da Direcção-Geral de Energia e Transportes da Comissão Europeia.

Em 2008 foi convidado pela Ecole Polytechnique Federale de Lausanne, para colaborar com um corpo permanente de consultores conselheiros das autoridades Suíças sobre Ordenamento do Território e Mobilidade (Spacewatch). Fez parte do Comité Internacional de Programação da conferência Walk21 em Toronto e foi Coordenador Nacional do Projecto COST: Pedestrian Quality Needs. Em 2010 publicou como coeditor o livro “The Walker and the City”. Foi consultor do Plano Nacional de Promoção da Bicicleta e outros Modos Suaves em Portugal (CiclAndo). É júri do indicador de mobilidade ECOXXI que visa a identificação e o reconhecer as boas práticas de sustentabilidade e segurança rodoviária desenvolvidas ao nível dos municípios portugueses. É Presidente da Associação Estrada Viva – Liga de Associações pela Cidadania Rodoviária, Mobilidade Segura e Sustentável e membro da direcção da MUBi (Associação pela Mobilidade em Bicicleta). É Secretário-Geral da Federação Internacional de Peões e escreveu artigos e fez numerosas comunicações e seminários em vários países europeus sobre diversas temáticas relacionadas com transportes, mobilidade sustentável e segurança rodoviária. 

Na última década trabalhou em numerosos projectos com a comunidade escolar para a promoção de mobilidade sustentável (nomeadamente deslocações a pé e de bicicleta) e apoiados pelo Programa Gulbenkian Ambiente da Fundação Calouste Gulbenkian: A pé para a Escola” – Gestão da Mobilidade em Comunidades Escolares” (Walk to School Portugal), “Deslocações para a Escola na cidade de Castelo Branco. Por uma Mobilidade mais Sustentável.”, “Mobilidade Sustentável e Segurança Rodoviária: um projecto de educação para as novas gerações”. Participou também activamente no projecto BIP/ZIP: “Ruas do Bairro, Amigas da Criança” onde organizou pedibus em escolas de Lisboa. É coordenador científico em Portugal do projecto Serpente Papa-Léguas – jogo da mobilidade. Co-organizou e lecionou no projecto ”Queremos ir para a escola em segurança!” – Participação da comunidade escolar na melhoria do ambiente rodoviário, da ACA-M e apoiado pela Missão Sorriso. É formador na Oficina de formação Educação Rodoviária na Educação Pré-Escolar e no Ensino Básico: um contributo para a implementação do Referencial de Educação Rodoviária, organizado pela Direcção Geral da Educação, para as componentes de Mobilidade Sustentável, Segurança Rodoviária e Parcerias Institucionais.

X