Indicador “Mobilidade Sustentável”- A perceção dos municípios

Com o intuito de avaliar o papel do Indicador enquanto ferramenta de monitorização da atuação dos municípios e como instrumento passível de contribuir para a promoção da mobilidade sustentável, através da sensibilização destas entidades para a adoção de boas práticas, foi realizado um inquérito aos municípios participantes em 2015, nos meses de abril e maio de 2016.

Foram obtidas 32 respostas válidas (74,4% dos municípios participantes), a saber: Abrantes, Águeda, Albufeira, Alfândega da Fé, Amadora, Anadia, Arouca, Avis, Bragança, Cantanhede, Funchal, Fundão, Guimarães, Horta, Loulé, Lourinhã, Lousã, Macedo de Cavaleiros, Mafra, Maia, Manteigas, Mealhada, Oeiras, Oliveira do Hospital, Póvoa de Varzim, Ribeira Grande, Santo Tirso, Tavira, Torres Vedras, Viana do Castelo, Vila Franca de Xira e Vila Nova de Gaia.

picture2

O indicador “Mobildade Sustentável”  visa dois objetivos principais: monitorizar a adesão das políticas municipais ao paradigma da “mobilidade sustentável”; e sensibilizar os técnicos/decisores políticos locais para a adoção de medidas/ações indutoras da sua afirmação.

Do ponto de vista da operacionalização do conceito “Mobilidade Sustentável”, o Programa ECOXXI adota uma perspetiva congruente com aquela que é proposta pelo IMTT, segundo a qual este conceito corresponde ao “conjunto de processos e ações orientadas para a deslocação de pessoas e bens, com um custo económico razoável e simultaneamente minimizando os efeitos negativos sobre o ambiente e sobre a qualidade de vida das pessoas, tendo em vista o princípio de satisfação das necessidades atuais sem comprometer as gerações futuras” (IMTT, 2011b).

X