Sintra instala estruturas para deposição de beatas

O município de Sintra vai entregar ‘beatómetros’ (cinzeiros de grande dimensão com visualização e métrica da capacidade) às 11 juntas de freguesia do concelho, no dia em que entra em vigor a nova legislação sobre a redução do impacto das pontas de cigarro, charutos ou outros cigarros no ambiente (Lei n.º88/2019, de 3 de setembro).

Os primeiros 11 ‘beatómetros’ foram entregues hoje dia 3 de setembro, e procuram sensibilizar a população para a problemática das pontas de cigarro, vulgarmente denominadas de ‘beatas’, e as consequências da sua deposição no ambiente. Este tipo de resíduo, pela sua dimensão e leveza, são levadas nas linhas de águas, como ribeiras e rios, e acabam muitas vezes no mar, provocando a sua contaminação e colocando em risco a vida marinha.

Como as pontas de cigarros não são biodegradáveis, incluindo na sua composição cerca de quatro mil compostos tóxicos, entre metais pesados e micropartículas tóxicas, estes resíduos são responsáveis, ainda, por significativas alterações nos ecossistemas marinhos e, no seu trajeto, também afetam os ecossistemas terrestres, com impacto negativo na biodiversidade.

“Para sensibilizar para esta temática, a Câmara Municipal e os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra conceberam o ‘beatómetro’, um cinzeiro de grande dimensão com visualização e métrica de capacidade, feito com desperdícios, tubagens e restos de outros materiais, resultantes das intervenções dos SMAS de Sintra”, sublinha Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS de Sintra.

Os ‘beatómetros’ incluem as mensagens “Beatas de cigarro no chão é que não” e “Beatas de cigarro um pequeno grande problema” e, além de sensibilizar a população em geral, servem como forma de quantificar o volume de pontas de cigarro recolhidas, quer dos funcionários das juntas de freguesia, quer dos munícipes. Posteriormente, essas ‘beatas’ serão recicladas pela autarquia sintrense.

Sintra é candidata ao Programa ECOXXI 2020, programa que premeia as boas práticas de sustentabilidade local, pela primeira vez.

Notícia completa aqui

X